BLOG DO FILALETEU

Filosofia; Arte; História; Humanismo e Ecologia

Santuário do Bom Jesus de Braga Agosto 22, 2008

Filed under: Não classificado — ofilosofo @ 1:52 am

Saudações:

Em Braga, mais precisamente numa colina na freguesia de Tenões, situa-se um Santuário que dá pelo nome de Bom Jesus de Braga. Tem várias peculariedades que o tornam um local muito especial. Possui uma longa escadaria repleta de simbolos místicos, repartida em três partes: A escadaria dos planetas e da via sacra, a dos sentidos e a das virtudes. Por detrás da igreja que culmina a escadaria está ainda a fonte de Hércules e mesmo no topo da montanha, no meio de um bosque de carvalhos, um enorme rochedo no cimo do qual um Homem crava uma lança na rocha, sendo este o ponto a partir do qual emana toda a água que percorre a escadaria.

Apresento um excerto da obra de José Ramos, “O percurso alquímico da escadaria do Bom Jesus de Braga” que iustra o que acabou de ser dito:

“A escadaria dos planetas:
Transposto o pórtico, começa a escadaria em linha quebrada, formando um M. Segundo H. P. Blavatsky, esta é a mais sagrada das letras, assumindo um carácter místico quer no Ocidente quer no Oriente. Representa as ondas na Água do grande Oceano Primordial. É a Matriz, a Mater, a Mãe, Mut no Egipto, Maria no cristianismo, Maya no budismo, etc. É a Matéria Primordial como princípio da Grande Obra alquímica.
Subindo os três primeiros lanços de escadas encontramos, no primeiro pátio, a Fonte de Diana representada através da aljava, das flechas e do arco. Diana, irmã de Apolo, é muito bem definida por Délia Guzmán nos seguintes termos: “Sob o símbolo superficial da deusa dos bosques e dos animais -às vezes para protegê-los e outras vezes para destruí-los e caçá-los está a vigilância da Natureza, a limpidez da Vida, a pureza dos costumes, dos sentimentos e dos pensamentos. Digna complementaridade de Apolo, ela não quer que o Sol ilumine nada que não possa ser mostrado em toda a sua plenitude e nobreza” . Desta forma, Diana aponta a necessidade de o homem se purificar a fim de poder penetrar nos profundos mistérios da Natureza. Por outro lado, o facto de a Fonte de Diana estar presente no início da escadaria é bem interessante, pois um dos sinais que muitas vezes se encontra no princípio da Obra alquímica é precisamente o arco e a flecha, indicando que está no caminho certo…”

Para além disto existe um funicular (espécie de eléctrico, mas movido a água, fazendo esta o contrapeso), o mais antigo da Europa, e que dá jeito na descida, pois o percurso da escadaria deve ser feito a subir.

Um video que ilustra um pouco o local: